Sorte e Azar: 35 superstições ao redor do mundo

Embora eu não seja supersticioso, sempre achei interessante ver como algumas superstições são parecidas em cantos tão diferentes do mundo. Por isso, vou compartilhar aqui, sem fazer julgamentos, algumas crenças populares sobre sorte e azar que já vi por aí.

Conhecer um pouco das superstições locais pode realmente evitar mal-entendidos. Mas, antes de ler, lembre-se que em todos os lugares existem pessoas mais supersticiosas do que outras e que até dentro de um mesmo país, existem superstições mais aceitas em algumas regiões e menos em outras, ok?

Não dá para generalizar 🙂

E como as superstições cruzam fronteiras e resistem ao tempo, também não dá para garantir que elas sejam exclusivas de um único local. Bom, vamos lá!

Arábia Saudita

  • Assim como no Brasil, na Arábia Saudita ver um chinelo virado para baixo e não desvirá-lo não é bom sinal e dá um azar danado!
  • Orelha vermelha ou olho piscando são sinais de que alguém está falando de você;
  • Se cair um cílio na bochecha, é hora de fazer um pedido;
  • Se um corvo pousar no telhado da casa, é sinal de que algum morador dali vai morrer;
  • Cortar as unhas durante a noite é pedir para ficar pobre;
  • Faz mal misturar frutos do mar com leite (é a nossa versão de “manga com leite”).
Corvo no telhado (Pixabay)

Itália

  • Na Itália, o número do azar é o 17 e ao contrário de boa parte do mundo, o 13 é o número da sorte.
  • Se você estiver sentado à mesa e alguém te pedir para passar o sal, nunca … nunca …. mas nunca mesmo dê o saleiro diretamente na mão da outra pessoa. Isso dá azar para os dois. Então, pegue o saleiro e coloque-o próximo da pessoa que te pediu.
  • Derrubar o saleiro dá azar. O motivo disso é que na pintura da “Última Ceia” de Leonardo da Vinci, Judas derrubou o saleiro com o braço. E como ninguém quer ser o Judas da mesa, isso virou sinônimo de azar.

(se derrubar o saleiro sem querer, o antídoto é pegar um pouco de sal e jogar pra trás, por cima do ombro)

Judas derrubando o saleiro (Wikimedia)

México

  • Guarda-chuva aberto dentro de casa traz má sorte (o mesmo na Itália, na Coréia do Sul e também na Arábia Saudita);
  • Ouvido tapado é sinal de que alguém está falando de você;
  • Quando sentir aquela sensação de “choque” ao bater o cotovelo em algum lugar, vai ter boa sorte se resistir à vontade de não colocar a mão nele;
  • Quando alguém falar de algo ruim que pode acontecer, basta dizer “Toco Madera” (que funciona como o nosso “bater na madeira”)

Japão 

  • Assim como na Arábia Saudita, cortar as unhas durante a noite não é uma boa ideia;
  • 4 (shi) é o número do azar porque a pronúncia é parecida com a da palavra morte;
  • 9 (ku) também é um número de azar porque a pronúncia é parecida com a da palavra “sofrendo / sofrimento”

Argentina 

  • O ex-presidente argentino Carlos Menem é a personificação da falta de sorte para muitos, mas muitos argentinos – que tem até medo de falar ou ouvir o nome dele! Existem muitas histórias da vida dele que são usadas para justificar a fama de que ele espalha azar. E se você, desavisado/a, acabar falando “Menem” por lá, certamente verá as pessoas fazendo o ritual que serve de antídoto para a má sorte que o nome dele traz:  mulheres tocando o próprio seio esquerdo e homens tocando o próprio testículo … esquerdo também.
O ex-presidente da Argentina, Carlos Menem

Rússia

  • Assoviar dentro de casa dá má sorte para quem quer juntar dinheiro;
  • Colocar uma bolsa no chão, também dá má sorte para quem quer juntar dinheiro;
  • Não se ofereça para lavar a louça quando for convidado para almoçar ou jantar numa casa russa. Muitos russos acreditam que (adivinhe?) isso traz má sorte financeira para os donos da casa;
  • Tirar fotografias de um recém-nascido e mostrá-las para outras pessoas, traz mau-olhado para a criança. Isso é evitado principalmente durante o primeiro mês de vida do bebê.

China 

  • O 8 é o número da sorte, porque tem a pronúncia parecida com a da palavra “prosperidade”.
  • Assim como no Japão e na Coréia do Sul, a pronúncia do número 4 em mandarim é  parecida com a da palavra “morte”. Consequentemente, um carro que tenha muitos 4’s na placa, é mais difícil de ser vendido e por isso, costuma ter um preço mais baixo.

Então, quem não liga para superstições tem aí uma boa forma de economizar. E o mesmo vale para linhas telefônicas, apartamentos e outros itens de compra que são identificados por números. Por outro lado, quem é supersticioso sabe que precisa pagar mais caro se quiser itens cheios de número 8.

  • Se em boa parte do mundo, prédios (e navios de cruzeiro) preferem não ter um 13º andar, na China os andares que terminam com 4 também não existem. Já na Coréia do Sul, o 4º andar é indicado nos elevadores pela letra “F” de Four (4), em inglês.
Elevador na China, em Shanghai (Wikimedia)

 Índia

  • Colocar cebolas e facas embaixo do travesseiro de um recém nascido ajuda a espantar os pesadelos da criança;
  • Para os adultos, uma cebola embaixo do travesseiro já basta para prever durante o sonho quem será o futuro ou futura namorado/a.
  • Beber leite e comer peixe dá Vitiligo (na Arábia Saudita isso também não faz bem, mas na Índia eles são mais específicos: Vitiligo)

Nigéria

  • Se você cuspir no chão e alguém pisar no cuspe, você vai ter dor de garganta (é um jeito diferente de ensinar boas maneiras, não?);
  • Se uma coruja pousar no telhado da casa, é sinal de que algum morador dali vai morrer (na Arábia Saudita o problema é o corvo, na Nigéria é a coruja)

Grécia

  • Quando duas pessoas falam, sem querer, a mesma palavra e ao mesmo tempo,  elas dizem: Piase Kokkino (tocar algo vermelho) e depois precisam encostar a mão em qualquer objeto que tenha a cor vermelha para evitar uma futura briga;
  • Muitas casas gregas têm, pelo menos um, vasinho de cactus próximo à porta de entrada. O cactus protege a casa da má sorte.
Cactus na entrada da casa (Pixabay)

Nepal

  • Criança que brinca com fogo, faz xixi na cama (essa você já deve ter escutado por aqui também)
  • Muitos nepaleses nunca fazem uma viagem de 9 dias, porque voltar para casa no nono dia não é algo recomendável. Além disso, eles preferem não viajar em dias do mês que terminam com zero (10, 20, 30) e viajar no começo do mês é bem melhor do que nos últimos dias do mês.

França

  • Estrear uma roupa nova na sexta-feira dá azar.
  • Preste atenção como os pães são colocados em cima da mesa. Colocá-los de cabeça pra baixo, também dá azar. Isso porque os padeiros dos tempos medievais costumavam deixar os pães dos carrascos de cabeça para baixo. Isso era uma forma de sinalizar para todos que aqueles pães já estavam reservados. Então, como ninguém queria criar problemas com os carrascos, ninguém mexia nesses pães (essa superstição também existe na Itália).

 

Posição correta do pão para não trazer azar (Wikimedia)

 

****

Ninguém desconfia como ou onde surgiram boa parte dessas superstições. Já algumas têm duas ou mais versões que explicam a origem.  O que se sabe é que esse assunto não tem fim!

Gosta de viagem e cultura? Siga o Viagem’Grafia no Facebook e no Instagram 🙂 

Compartilhe:

Deixe uma resposta