Santorini – uma pequena ilha que já mudou a história da humanidade

Santorini recebe cerca de 2 milhões de turistas por ano e isso faz dessa pequena ilha grega um dos destinos turísticos mais procurados do mundo.

No entanto,  nem todos os visitantes de Santorini conseguem imaginar que o tranquilo mar que rodeia a ilha já tenha sido o lugar mais turbulento do planeta. Ali está escondido o que talvez seja o único vulcão ativo do mundo com a cratera submersa.

Veleiro na cratera com Thirasia ao fundo (Foto: Vinicyus Vieira / Viagem’Grafia)

Esse vulcão é tão poderoso, que já foi responsável por deixar o mundo por duas semanas na completa escuridão, causou um inverno global com duração de dois anos e dizimou a primeira grande civilização européia. Por isso, não é exagero dizer que Santorini (com seu vulcão) mudou o curso da história da humanidade.

Mas como e quando? Primeiro, veja a transformação de Santorini.

Há 30 mil anos 

O formato da ilha há 30 mil anos (Imagem: Nikos Korakakis)

Há 23 mil anos

Cratera enorme se abriu no centro da ilha após erupção do vulcão Riva, há 23 mil anos (Imagem: Nikos Korakakis)

Há 6500 anos  

Civilização Minoica

Há 6500 anos a ilha recebeu seus primeiros habitantes e depois de alguns séculos a primeira civilização européia começou a se instalar na ilha: a civilização Minoica. E enquanto a civilização crescia, um vulcão foi aparecendo no centro da cratera.

Vulcão despontando no centro de Santorini – chamada de Strongili pelos Minoicos (Imagem: Niko Korakakis)

Esse formato de Santorini deixou os Minoicos tão bem protegidos que era praticamente impossível que outros povos invadissem e conquistassem a ilha. Qualquer um que planejasse invadir o território teria que passar com seu barco por uma estreita passagem. Havia só uma entrada, pois o acesso por outros pontos era impossível por conta dos paredões que chegam a 300 metros de altura.

Com essa vantagem estratégica, os Minoicos se tornaram praticamente inatacáveis em seu território, cresceram e controlaram o leste do Mediterrâneo por mais de mil anos.

Há 3700 anos

A Grande Erupção

Há 3700 anos, aconteceu em Santorini a segunda maior erupção já vista por humanos (Imagem: Niko Korakakis)

Para entender a força do que aconteceu com Santorini, vou usar como exemplo a erupção de um vulcão da Indonésia, em 1883 – o Krakatoa.

A erupção do Krakatoa pôde ser ouvida a 5 mil quilômetros de distância (maior que a distância entre o Oiapoque e o Chuí), espalhou cinzas pela Ásia inteira, causou a queda na temperatura do planeta e deixou o céu com uma cor diferente por cerca de 3 anos.

Agora imagine que a erupção que a civilização Minoica presenciou foi quase 5 vezes mais forte que a do Krakatoa. Numa fração de segundo, a explosão do vulcão de Santorini teve a potência de centenas de bombas atômicas explodindo juntas!

A fumaça atingiu mais de 50 km de altura, deixando o mundo inteiro no escuro por cerca de duas semanas. Uma camada de 60 metros de cinzas cobriu todo o solo da ilha, soterrando praticamente tudo que existia ali. E, simultaneamente, tsunamis garantiam que até mesmo parte da civilização minoica presente em outras ilhas fosse varrida do mapa.

A erupção explodiu e afundou no mar cerca de 25% da ilha, dividindo Santorini em 3 partes (Imagem: Niko Korakakis)

Por que isso mudou a história da humanidade? 

O fim da civilização Minoica, abriu espaço para que, alguns séculos depois, outras civilizações se desenvolvessem e influenciassem o restante do mundo – como é o caso do povo de Atenas. Será que Atenas e Esparta existiriam se a civilização minoica não fosse exterminada por esse vulcão milhares de anos antes?

Acredito que não.

Por isso, dá para dizer que a erupção de Santorini mudou os rumos da história da humanidade. 

Além disso, a erupção causou um impacto ambiental enorme em diferentes pontos do mundo e alguns acreditam que as calamidades contadas na Bíblia conhecidas como as Pragas do Egito, foram consequências dessa grande erupção.

 

Mapa atual com o centro do vulcão começando a aparecer mais uma vez para fora da água (Imagem: Niko Korakakis)

Hoje, a ilha tem cerca de 15 mil habitantes (metade da população que vivia ali no tempo dos minoicos) e mesmo que as vezes ela receba quase 10 mil turistas num único dia, a sensação de paz que esse lugar dá é impressionante. As fotos abaixo acredito que dão uma boa ideia da tranquilidade que se respira na ilha.

Seguindo um cachorro no caminho para a capital de Santorini, Fira (Foto: Vinicyus Vieira/ Viagem’Grafia)
Gato e a ilha de Thirasia ao fundo (Foto: Vinicyus Vieira / Viagem’Grafia)
Vila de Oia no norte de Santorini (Foto: Vinicyus Vieira / Viagem’Grafia)
Nea Kameni (esquerda), Thirasia (direita ao fundo) e um sanfoneiro no meio da conversa (Foto: Vinicyus Vieira / Viagem’Grafia)

E mesmo sem saber quando esse gigante acordará de novo, a boa notícia é que isso costuma acontecer a cada 20 mil anos. Então, é pouco provável que a gente veja o próximo caos que Santorini vai causar no mundo. Ainda bem.

Compartilhe: