Quatro formas para enxergar mais durante sua viagem

“Você não enxerga com os olhos”

Essa frase pode soar um pouco estranha, eu sei. Mas a verdade é que nossos olhos são apenas as lentes por onde as imagens passam e quem realmente enxerga é o nosso córtex visual – que fica na parte de trás do nosso cérebro.

Só que o curioso é que nosso córtex visual só consegue enxergar aquilo que ele tem habilidade para entender. Isso quer dizer que se os seus olhos captam uma imagem mas seu cérebro não consegue dar ou encontrar sentido para ela, você não a enxerga. Passa batido.

Veja as 3 imagens abaixo:

Seu cérebro deve ter reconhecido, numa fração de segundo, uma estátua do Elvis, o quadro da Mona Lisa e o Coliseu, certo? E vendo “ao vivo” qualquer uma delas, pela primeira vez, seria pouco provável que você esquecesse da experiência mesmo que ela durasse poucos segundos, não?

Agora veja essas outras imagens:

Conseguiu identificar alguma delas? Mais difícil, né?

E se você ficasse apenas 2 segundos frente a frente com elas durante uma viagem, acha que se lembraria da experiência depois?

Em qualquer viagem, zilhões de cenas passam diante dos nossos olhos sem serem percebidas. Isso é inevitável. Mas existem 4 pontos que se você levar em consideração, vão ajudar seu cérebro a reconhecer e registrar mais coisas durante uma viagem e, consequentemente, fazer com que você enxergue mais. Aqui vão eles:

1) Povos antigos

Quando ouvimos detalhes sobre povos que não existem mais como visigodos, cartagineses e minoicos, por exemplo, o nosso poder de compreensão geralmente é muito menor do que se estivéssemos falando de alemães, japoneses e argentinos, não?

Na foto, ruínas do povo Fenício no sítio arqueológico de Nora, na Sardenha – Itália (Foto: Vinicyus Vieira / Viagem’Grafia)
Kathmandu vista do alto (Foto: Vinicyus Vieira / Viagem’Grafia)

Então, além de planejar o que levar, onde ficar, quanto gastar e como chegar (coisas comuns num planejamento de viagem) vale a pena considerar essa preparação cultural antes mesmo de partir e também observar os locais por ângulos diferentes. Assim, com certeza, você vai enxergar muito mais dos lugares que visitar.

***

Ah … e aqui vão as legendas/respostas das imagens do começo do texto.

1- Estátua de Maurice Richard em Quebec (um importante jogador de hockey canadense): Estátua que sem uma pesquisa prévia provavelmente só seria notada por um fã de hockey.
2- Obra Templegärten, do pintor suiço Paul Klee, feita em 1920 e exposta no Metropolitan Museum of Art de Nova York: Como no caso anterior, sem uma pesquisa prévia antes de entrar no museu, provavelmente só um fã de arte conseguiria enxergar o valor desta obra.
3- Ggantija, em Malta, são templos com mais de 5 mil anos (cerca de mil anos mais velhos que as pirâmides do Egito): Um lugar com uma importância arqueológica extrema, mas ainda desconhecido por muitos. Sem saber a história de Ggantija, um turista pode facilmente olhar esse lugar apenas como um “monte de pedras” empilhadas.

Compartilhe: