Teto da Capela Sistina

Conheça e entenda todos os ângulos da Capela Sistina

A Capela Sistina arranca expressões de “UAU” de quase todos os 25 mil visitantes que recebe todos os dias e tem o poder de impressionar não só católicos, mas pessoas de outras religiões e até mesmo ateus.

A importância histórica e artística da Capela Sistina é impossível de se medir ou comparar, pois além de ser o lugar onde se realiza o conclave (votação para a escolha de um novo papa), ela também reúne obras de alguns dos maiores artistas do mundo ocidental.

No entanto, muitos visitantes ficariam mais admirados se compreendessem melhor aquilo que a capela mostra e significa. E acredito que esse texto possa ajudar nisso.

A CAPELA

O nome da capela é Sistina porque foi durante o papado de Sistus IV della Rovere que ela começou a ganhar as primeiras obras de arte que estão lá até hoje. Antes a capela se chamava Cappella Magna e Sistus IV contratou artistas importantes da época com a ideia de  modificá-la e decorá-la à altura da importância dela para a Igreja Católica.

Os papas seguintes deram continuidade ao projeto de Sistus IV até que a capela chegasse ao que temos atualmente.

Na cidade de Savona (noroeste da Itália) existe outra capela Sistina, já que era a cidade natal do papa Sistus IV. Mas ela não chega aos pés da Sistina mundialmente conhecida e que vamos tratar aqui.

AS PAREDES DA CAPELA SISTINA

As paredes laterais e a parede do fundo da capela são divididas em três níveis.Veja a foto:

parede-capela-sistina
Foto: Dennis Jarvis. Licença CC BY

O primeiro nível é dedicado às  tapeçarias, o segundo nível às pinturas (afrescos) retratando passagens bíblicas e o terceiro nível (onde estão as janelas) é dedicado às pinturas-retratos de 28 papas.

As tapeçarias (primeiro nível)

Encomendadas pelo papa Leo X, as primeiras dez tapeçarias feitas com os desenhos do pintor Rafael, foram roubadas no Grande Saque de Roma em 1527 e se perderam pela Europa. Mas com os desenhos das estampas, outras tapeçarias foram feitas e hoje são exibidas somente em cerimônias ou datas especiais.

Os desenhos de Rafael feitos para a confecção das tapeçarias mostram passagens da vida de São Pedro e São Paulo. Atualmente, sete dos dez desenhos originais estão em Londres e fazem parte da coleção de arte da família real britânica.

Afrescos (segundo nível) 

Olhando para o altar, todos os afrescos da parede esquerda retratam passagens da vida de Moisés (Velho Testamento). Aqui estão todos eles:

Capela Sistina
Jornada de Moisés ao Egito (Pietro Perugino)
Capela Sistina
As provas de Moisés (Sandro Botticelli e alunos)

Nessas duas primeiras obras, é possível ver que a figura de Moisés se repete várias vezes (homem de verde e amarelo). Cada um dos “Moisés” retrata uma passagem específica do Velho Testamento. Esse tipo de obra, com uma história contando várias outras histórias, pode ser visto em quase todos os afrescos da capela.

Capela Sistina
A travessia do Mar Vermelho (Biagio D’Antonio)
Capela Sistina
A entrega da Tábua dos Dez Mandamentos (Cosimo Rosselli)
Capela Sistina
O castigo de Coré, Datã e Abiram (Sandro Botticelli)
Capela Sistina
O testamento e a morte de Moisés (Luca Signorelli e Bartolomeo Della Gatta)

O corpo de Moisés sendo velado enquanto um anjo aponta a Moisés a Terra Prometida que está no outro canto.

Já na parede do lado direito da capela, todos os afrescos retratam a vida de Jesus (Novo Testamento). Veja todos eles:

Capela Sistina
O batismo de Cristo (Pietro Perugino)
Capela Sistina
As tentações e a purificação do leproso (Sandro Botticelli)
Capela Sistina
O chamado dos primeiros apóstolos (Domenico Ghirlandaio)

No primeiro plano o chamado dos dois primeiros apóstolos: Pedro e André.

Capela Sistina
O sermão da montanha (Cosimo Rosselli)
Capela Sistina
A entrega das chaves (Pietro Perugino)
Capela Sistina
A última ceia (Cosimo Rosselli e Biagio D’Antonio)

Judas é o único que não está do mesmo lado da mesa e o único com a aureola escura. Vendo a obra de perto, dentro da Capela, é possível ver que existe um “diabinho” pendurado no ombro de Judas.

A linha dos papas (terceiro nível)

Ao lado das janelas, os primeiros papas foram retratados pelos mesmos pintores dos afrescos do segundo nível: Botticelli, Perugino, Ghirlandaio e Rosselli. Inicialmente, os 32 primeiros papas estavam expostos na capela, mas a parede onde estavam quatro papas foi coberta para dar lugar ao “Juízo Final” de Michelangelo.

O TETO

Daqui em diante (ou para cima) tudo foi feito por Michelangelo.

Teto da Capela Sistina
Teto da Capela Sistina (Michelangelo Buonarroti). Foto: Wikipedia

O teto da Capela Sistina tem nove painéis centrais que podem ser divididos em 3 grupos de 3 painéis. O primeiro grupo mostra Deus como Criador, o segundo grupo mostra a história de Adão e Eva e o terceiro grupo conta a história de Noé e também do dilúvio.

Teto da Capela Sistina
Os nove painéis no teto da Capela Sistina

Primeiro Grupo – Deus como Criador

Teto da Capela Sistina
Separação da luz da escuridão

Michelangelo era escultor, arquiteto, poeta e grande estudioso de anatomia mas não se considerava um pintor e ficou com receio de aceitar o convite do Papa Julio II (sobrinho de Sistus IV) para pintar o teto da Capela. Ele levou 4 anos (de 1508 a 1512) para concluir o teto e deixou para pintar Deus somente no final.

Na “Separação da Luz da Escuridão”, vendo o pescoço de Deus de perto, é possível ver um desenho idêntico ao tronco cerebral e à medula espinhal de um humano. O que ele quis dizer com isso, vai da interpretação de cada um. Mas já é um sinal do quanto Michelangelo era diferenciado.

Teto da Capela Sistina
Criação das estrelas e dos planetas

Aqui, Deus é retratado criando os planetas. Mas quem é que está ali de costas?

À primeira vista parecem dois personagens retratados, mas trata-se de um só: Deus duas vezes. Com braços abertos e em duas versões, Michelangelo mostra Deus em movimento, girando, criando e olhando todos os lados. A ideia de pinturas indicando movimento começou aqui.

Teto da Capela Sistina
Separação da água da terra.

Assim como a ideia de movimento, pinturas em três dimensões tão bem feitas não existiam até então.

Outra curiosidade, é que essa imagem humanizada de Deus, como um senhor grisalho, de barba longa e branca, não existia antes dessas obras de Michelangelo. Esse “rosto de Deus” serve de inspiração para pintores e desenhistas até hoje.

Segundo Grupo – Adão e Eva

Teto da Capela Sistina
Criação de Adão

O painel da Criação de Adão é uma das pinturas mais famosas do mundo. Mas com a atenção no toque dos dedos, nem todos percebem que Michelangelo pintou Deus, dentro de uma concha com o formato do cérebro humano.

Teto da Capela Sistina
Criação de Eva
Teto da Capela Sistina
O pecado original

Depois do pecado no lado esquerdo, os descendentes de Adão e Eva no lado direito.

Terceiro Grupo – Noé

Teto da Capela Sistina
O sacrifício de Noé
Teto da Capela Sistina
O dilúvio

Dentro da arca, por uma janela lateral, Noé aparece com os braços para fora e olhando para o céu, como se estivesse observando a intensidade da chuva.

Propositalmente a arca não tem o formato de um barco, mas de uma catedral -passando a ideia de que somente dentro da Igreja a pessoa estaria salva. Michelangelo era supervisionado pelo papa e membros do alto clero e mesmo sendo famoso por não se submeter a regras, talvez tenha feito alguns agrados aos que encomendaram seu trabalho.

Teto da Capela Sistina
A embriaguez de Noé

Essa é a única obra da capela que está com uma parte danificada. Uma explosão de pólvora num depósito próximo ao Vaticano em 1787, fez parte do afresco cair.

Ignudi (Homens nus)

Teto da Capela Sistina
Vinte homens com faixas e medalhões

Em torno dos nove painéis existem 20 homens nus que seguram faixas presas a medalhões de bronze. Dentro dos medalhões, estão representadas passagens do Velho Testamento.

As pinturas de homens nus incomodaram muitos papas e por pouco o teto não foi lavado e totalmente apagado. Em 1565, um ano após a morte de Michelangelo, um pintor chamado Daniele da Volterra cobriu minimamente as pinturas para que ela não fosse destruída.

Somente durante o papado de João Paulo II (há 30 anos aproximadamente) que restauradores foram autorizados a remover as folhas de figo que Volterra usou para cobrir os homens nus. Por toda a capela, foram removidas 17 das pinturas-emergenciais de Volterra, enquanto que outras 23 não puderam ser removidas porque a remoção certamente  estragaria a obra original.

Profetas e Sibilas (Profetisas)

Teto da Capela Sistina
Profetas e Sibilas (Profetisas)

Sete profetas e cinco profetisas do mundo antigo

Este slideshow necessita de JavaScript.

Este slideshow necessita de JavaScript.

I Pennacchi

Teto da Capela Sistina
I Pennacchi

No canto e na parte curva do teto, Michelangelo retratou quatro episódios importantes da história de Israel.

Este slideshow necessita de JavaScript.

As velas

Teto da Capela Sistina
As Velas

Nos triângulos estão pessoas cansadas, sofrendo e que esperam por dias melhores ou, no contexto bíblico, esperam pela chegada do filho de Deus.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Lunetas

Em cima das janelas e embaixo das velas, estão as Lunetas, com os ancestrais de Cristo. As pessoas desenhadas nas velas (logo acima) tem laços com os ancestrais de Cristo representados nas lunetas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O JUÍZO FINAL 

Após o Saque de Roma e vinte e quatro anos depois da pintura do teto, Michelangelo foi contratado para pintar a parede atrás do altar da Capela Sistina.

Essa parede seguia a mesma linha das outras. Haviam duas janelas, dois afrescos e quatro papas pintados nela, mas tudo foi coberto para dar lugar ao JUÍZO FINAL – uma obra inspirada em trechos da Bíblia e também na Divina Comédia, de Dante Alighieri.

Mas antes de começar a pintar, Michelangelo revestiu a parede toda com tijolos e para evitar que a pintura segurasse pó com o passar dos anos, fez uma parede inclinada para dentro, deixando a parte superior (próxima ao teto) 26 cm mais para frente que a parte inferior (próxima ao chão).

Capela Sistina
JUÍZO FINAL

Existem algumas divisões bem marcadas no JUÍZO FINAL. Repare que quase todos os anjos no centro tocam as trombetas voltados para o mesmo lado.

Juízo Final
Anjos sem asas

No lado esquerdo estão os mortos com o tom de pele muito mais pálido que todas as outras pessoas da obra. Os anjos tocam as trombetas com força, para despertar as almas.

Juízo Final
Ressurreição dos mortos no canto inferior esquerdo

Um pouco acima, essas almas recém despertadas recebem ajuda de outros anjos para que consigam subir. É importante lembrar que essa ideia de movimento não era comum em pinturas e Michelangelo dominava muito bem esse recurso, dando a ideia de que todas as almas deste lado estão indo para cima.

Juízo Final
Anjos ajudando almas a subirem

Mas agora veja o que acontece nessa mesma altura mas do lado direito da pintura.

Demônios

Nessa parte, anjos brigam e impedem que as pessoas subam. Ao mesmo tempo, demônios puxam essas pessoas desesperadas para baixo. A agitação nessa parte é bem nítida.

Juízo Final
Anjos não deixando homens subirem

E no meio dessa agitação, chama a atenção a expressão de um homem que parece ter desistido de lutar e compreendido o seu trágico destino.

Juízo Final
Homem em desespero

Um pouco mais abaixo, pessoas são despejadas no inferno. O homem enrolado por uma serpente, no canto direito, é um retrato de Biagio da Cesena, o mestre de cerimônias do papa, que declarava publicamente que as obras de Michelangelo deveriam ser expostas em banheiros.

Michelangelo deu a resposta pintando-o no inferno.

Juízo Final
O inferno

O Céu

Na parte superior central, está Jesus com corpo e rosto muito diferente do que se costuma ver. As marcas dos pregos nos pés e nas mãos confirmam que é Jesus, mas com uma fisionomia diferente. Ao lado dele, está Maria.

Juízo Final
Cristo

Próximos a Jesus estão vários santos, segurando as armas ou os instrumentos de tortura que os mataram. São Sebastião com flechas, Santa Catarina com uma roda dentada e vários outros. Todos eles também desenhados como pessoas extremamente fortes.

Juízo Final
Santa Catarina e São Sebastião em primeiro plano

Aos pés de Maria está São Lourenço segurando uma escada, simbolizando a grelha onde foi queimado vivo. Do outro lado está São Bartolomeu segurando uma pele, já que foi esfolado vivo. No entanto, essa pele não tem o rosto de Bartolomeu, mas o rosto do próprio Michelangelo. 

Juízo Final
São Lourenço e São Bartolomeu

Existem várias interpretações que explicam porque Michelangelo colocou seu próprio rosto ali, mas não vou entrar nessa parte. Mas um aspecto curioso é que o autorretrato está exatamente entre Jesus e o “homem em desespero”. E se colocarmos a linha de visão de Jesus, ele está olhando para o inferno, para o homem em desespero e para Michelangelo.

Juízo Final
Linha do olhar de Jesus

Assim como no teto da capela, existe uma infinidade de coisas escondidas no Juízo Final e seriam necessários livros e mais livros para contar tudo. Mas acredito que com essas informações, uma visita à Capela Sistina ganha muito mais sentido e as chances de se impressionar serão ainda maiores.

E antes de ir, clique aqui e faça um tour virtual pela Capela para ver todas essas obras de uma vez só. É sensacional.

*** *** *** *** ***

Para quem quiser se aprofundar ainda mais:

Para informações sobre datas, horário de abertura e compra de ingressos, clique na foto abaixo:

Ingressos para os Museus Vaticanos
Ingressos para os Museus Vaticanos. Foto: Vinicyus Vieira

** Com exceção da primeira e da última foto, todas as outras imagens foram retiradas do Wikimedia, com cortes e destaque de cores feitos pelo autor do blog**

******

Compartilhe: